Biografia

Alcione Sortica é um escritor brasileiro, premiado pela sua obra literária de caráter urbana e regionalista, apresentada em contos, crônicas e poesias. Nascido na cidade de Cachoeira do Sul (RS) em 17 de dezembro de 1935 - ano do Centenário da Revolução Farroupilha - na casa dos avós maternos. Foi o segundo filhodo comerciante Antônio Osório Sortica e de Maria Luiza da Trindade Sortica, tendo duas irmãs, Heloina e Avani. Realizou os primeiros estudos no Ginásio Roque Gonçalves – atualmente Colégio Marista Roque – onde concluiu o Curso Técnico de Contabilidade (1954). Além da distinção no estudo da língua portuguesa e da literatura brasileira, completou seus conhecimentos com o francês, o inglês e o latim, línguas comuns ao ensino da época. No período estudantil, foi cofundador da Liga Estudantil Gonçalvense, entidade em atividade até a atualidade. Ainda na cidade natal, cursou o primeiro ano da faculdade de Ciências Econômicas. Nesse período, exerceu o cargo de primeiro-secretário de Sociedade Recreativa e, igualmente, da Associação do Comércio e Indústria. Em 1963 contraiu matrimônio com Ivone Teresinha Almansa Sortica, sua companheira que o acompanha em todas as atividades, exercendo as funções de crítica literária e fotógrafa. Em 1967, transferiu-se para Porto Alegre (RS), onde exerceu a atividade contábil na fábrica de chocolates Ernesto Neugebauer S.A. Em 1968, em concurso público nacional, ingressou na atual Receita Federal do Brasil, como Auditor (na época Agente Fiscal de Imposto de Renda). Na maior parte de duas décadas de serviço público, exerceu trabalhos na área de processamento de dados, em chefia da RF no SERPRO. Em 1974 graduou-se Bacharel em Ciências Contábeis pela conceituada Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde foi colega de turma e formatura de Jayme Sirotsky (Grupo RBS). Aposentado em 1990, completou o Curso Técnico de Transações Imobiliárias do SENAC/RS. Nesse momento da vida passa a dedicar-se às artes: inicialmente música e pintura. Em 2000, com o nascimento da sua primeira neta – Stephanie – a literatura começa a tomar forma. O poema “Raio de Luz” permaneceu engavetado até que, em visita à Casa do Poeta Rio-grandense, encontra Santa Inèze da Rocha Neiva Soares (do Jornal RS Letras), e encaminha o trabalho como sugestão. Esse foi publicado em primeira página, tendo início sua efetiva vida literária. Velhos escritos são desengavetados, outros novos vão surgindo, entre contos, crônicas, ensaios e poemas. O escritor tem passatempos distintos como a pescaria, a matemática – que já lecionou para turmas de concursos – a música e a pintura. As viagens dentro do país e para outros lugares do mundo completam suas atividades. O gosto pela pesca gerou as séries “beira de açude” e “histórias de pescador”. Do dia-a-dia afloram as séries “a pensão” e “o condomínio”, que apresentam a ótica humana na convivência com os semelhantes. Das inúmeras viagens surgiram as crônicas da série “histórias de viagens”, alguns textos no Jornal Zero Hora. Em 2005, publicou seu primeiro livro “Cacos do Tempo”, com prefácio do amigo e também escritor Nelson Fachinelli. Com mais de 100 participações em revistas, jornais, antologias e coletâneas cooperativadas nacionais e internacionais, sua obra literária conquistou vários prêmios.